| WORKSHOP COM HÉLVIO MENDES – FESTIVAL DE PERCUSSÃO DE AMARANTE

| WORKSHOP COM HÉLVIO MENDES – FESTIVAL DE PERCUSSÃO DE AMARANTE

Dia 28 de novembro, ás 14h00, inserido no FESTIVAL DE PERCUSSÃO DE AMARANTE, Hélvio Mendes dará um workshop intitulado “Xilofone”.

Pesquisadores registram a chamada “Época de Ouro” do xilofone entre o fim do Séc. XIX até a terceira década do Séc. XX, onde o instrumento estava inserido em diferentes contextos e linguagens musicais, a citar: polcas, valsas, ragtimes, entre outros (Cahn,1979; Mc Cutchen, 1984; e Eyles,1989). Já na segunda metade do Séc. XX, o instrumento começou a perder o seu espaço de performance para instrumentos como o vibrafone (Strain, 1995, p. 86), e suas práticas performativas de maior frequência começam a estar associadas ao meio orquestral. Na década de 1970 ocorreu um interesse pelo xilofone através de pesquisas acadêmicas, assim como um “resgate” do repertório da primeira metade do Séc. XX. Entretanto, ainda que haja novas obras sendo compostas, o instrumento ainda é pouco explorado dentro do contexto composicional da música erudita contemporânea de raiz essencialmente ocidental, tornando-o assim um instrumento com limitadas abordagens performativas.

Nessa perspectiva, será demonstrado um painel com o processo histórico do instrumento com os seus principais performes, repertório e atuações. Para além disto, o workshop abordará questões técnicas inerentes ao instrumento.

Helvio Mendes é doutorando em música (performance em percussão) na Universidade de Aveiro onde realiza uma pesquisa focada no xilofone com o objetivo de propor novas abordagens performativas do instrumento.

Atuou como percussionistas das principais montagens brasileiras de musicais da Broawday como: “Hair”, “Fame”, “A Família Adams” e “O Rei Leão”. Foi percussionista do Combo Brasileiro e da Bandinha Popular, interpretando músicas do folclore e das tradições populares brasileira.

Atua e possui experiência na área de Artes/Música, com ênfase em atividades como: história e pedagogia da música e percussão, ensino coletivo de instrumentos de percussão, teoria musical, percepção musical, música brasileira, música de câmara, performance musical, práticas interpretativas e educação musical. Atualmente é professor da Academia de Música de Cantanhede e Conservatório de Música David Sousa em Figueira da Foz.

Partilhar no facebook