Parceiros

Centro Cultural de Amarante

Maria Amélia Laranjeira

O CCA tem vindo a exercer a sua ação no concelho de Amarante, com vista à promoção da inclusão social de crianças e jovens que se encontram em maior vulnerabilidade educativa e social, permitindo, através da Música e da Dança, a reintegração em ambiente escolar. Para tanto, tem vindo a celebrar, com outras instituições, com quem partilha os mesmos princípios e os mesmos objetivos, vários protocolos para regular os termos e as condições à colaboração na implementação e desenvolvimento dos seus projetos sociais.

As autarquias locais visam a satisfação dos interesses próprios da população residente na circunscrição concelhia. Cabe ao Município de Amarante a função central de zelar pelo bem-estar de todos os munícipes, através da criação de medidas que garantam condições para o pleno exercício da cidadania, adotando uma atitude de discriminação positiva relativamente a todos os que estão desprovidos de instrumentos para a mudança social, deste modo, o CCA estabeleceu uma parceira com o Município de Amarante e integrou, como já foi referido, a Rede Social local, com quem trabalha em diversas ações sociais e campanhas de solidariedade.

UNESCO PORTUGAL

A Conferência das Nações Unidas para a criação de uma organização educacional e cultural foi convocada em Londres de 1 a 16 de novembro de 1945.

As 44 Delegações presentes decidiram criar uma organização que iria encarnar uma verdadeira cultura da paz. A seu ver, a nova organização deverá estabelecer a “solidariedade intelectual e moral da humanidade” e, ao fazê-lo, evitar uma nova guerra mundial.

No dia 16 de novembro, trinta e sete países assinam a carta que estabelece a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). Na conferência, Ellen Wilkinson, então simultaneamente Ministra britânica da educação e presidente da Conferência geral, lê a recém-adotada Constituição.

A carta entrou em vigor em 4 de novembro de 1946, sendo ratificada por vinte países.

Ler o Relatório da Conferência Geral (ECO/CONF./29).

Consulte o Website aqui.

FUNDAÇÃO MANUEL ANTÓNIO DA MOTA

A Fundação Manuel António da Mota constitui o contemporâneo e natural corolário da matriz e tradição filantrópicas do Grupo Mota-Engil, na senda do legado do seu fundador, Manuel António da Mota. É um importante instrumento da política de responsabilidade social, enquanto expressão organizada e sistematizada de uma gestão ética e socialmente comprometida, em nome de uma cidadania empresarial ativa e participativa.

Consulte o Website aqui.

A FEDP, a FCG, a FMAM e o CCA partilham valores, princípios, objetivos e a prossecução dos fins sociais, pelo que foi reconhecida relevância aos projetos Orquestra Energia de Amarante e Dança Nova Geração, desenvolvidos pelo CCA e decidida a atribuição de financiamento, pelas referidas Fundações.

Considerando, ainda, a necessidade do Conservatório garantir que os cursos básico e secundário do ensino artístico especializado da música possibilitem aos jovens a frequência de um plano de estudos que integre as competências necessárias para a sua formação geral e especializada numa determinada área artística, foi fundamental criar, também, um quadro de articulação entre os estabelecimentos de ensino artístico especializado e as escolas básicas ou secundárias do ensino regular de Amarante. Assim, estabeleceram-se também, protocolos com o Agrupamento de Escolas Amadeo de Souza – Cardoso e com o Agrupamento de Escolas de Amarante.

 

Para além destes, o CCA tem protocolos com:

– UNESCO,

– UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto-Douro,

– Faculdade de Motricidade Humana da Universidade de Lisboa,

– Universidade do Minho,

– Instituto Piaget – Cooperativa para o Desenvolvimento Humano, Integral e Ecológico, CRL,

– Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco,

– Clínica Dentária do Campo da Feira,

– Escola Secundária/3 de Amarante,

– Associação Viver Canadelo e Serra do Marão.

– Rede Social da C.M.A. que integra 56 associações.