FIMA

Centro Cultural de Amarante

FESTIVAL INTERNACIONAL DE MÚSICA ANTIGA DE AMARANTE – À VOLTA DO ÓRGÃO

O I Festival de Música Antiga de Amarante – À Volta do Órgão é organizado pelo Centro Cultural de Amarante Maria Amélia Laranjeira, entidade fundada a 3 de dezembro de 1981. Partindo da nossa génese e missão procuramos a interação cultural entre a associação e a população envolvente, assumindo um papel crucial no desenvolvimento cultural da região, promovendo assim o reencontro entre a comunidade, o intérprete e a investigação.

Com este Festival procuramos, ainda, sensibilizar a comunidade geral para a importância da manutenção e restauro dos órgãos de tubos, como património cultural da região, bem como alertar para a sua correta utilização. Cada concerto é uma oportunidade para o público conhecer a riqueza arquitetónica revestida pelas igrejas que acolhem estes eventos, a destacar, a Igreja de S. Gonçalo, Igreja de S. Domingos, Igreja de S. Pedro, bem como, a sonoridade proporcionada por cada órgão histórico.

A programação, organizada em quatro concertos, e centrada no repertório ibérico, apresenta o órgão de tubos como elemento central, contemplando assim quatro concertos dedicados inteiramente ao repertório solista para o instrumento. Contudo, e não se limitando nesta vertente do seu repertório, será apresentado um concerto para órgão e solista, a destacar um concerto para órgão e traverso (flauta barroca).

Este I Festival de Música Antiga de Amarante – À Volta do Órgão tem precisamente este objetivo, sensibilizar para a importante manutenção e restauro dos órgãos de tubos, como património cultural da região, bem como alertar para a sua correta utilização. Cada concerto é uma oportunidade para o público, conhecer a riqueza arquitetónica revestida pelas igrejas que acolhem estes eventos, a destacar, a Igreja de S. Gonçalo, Igreja de S. Domingos, Igreja de S. Pedro, bem como, a sonoridade proporcionada por cada órgão histórico.

A programação, organizada em quatro concertos, e centrada no repertório ibérico, apresenta o órgão de tubos como elemento central, contemplando assim quatro concertos dedicados inteiramente ao repertório solista para o instrumento. Contudo, e não se limitando nesta vertente do seu repertório, será apresentado um concerto para órgão e solista, a destacar um concerto para órgão e traverso (flauta barroca).

O I Festival de Música Antiga de Amarante – À Volta do Órgão  contempla ainda um Workshop de Introdução ao órgão de tubos, tendo por objetivo sensibilizar os instrumentistas de teclas e público mais jovem para as especificidades associadas à prática musical no órgão de tubos.

 

 COMISSÃO ORGANIZADORA

Coordenação I Direção do Centro Cultural de Amarante

Direcção Artística I Alexandre Andrade e Paulo Bernardino

Coordenação Pedagógica I Telmo Sousa

 

COMISSÃO DE HONRA

José Luís Gaspar (Presidente da Câmara Municipal de Amarante)

Rui Pedroto (Presidente da Comissão Executiva da Fundação Manuel António da Mota)

Telmo Pinto (1º Secretário Executivo da CIM-TS)

Carlos Pereira (Presidente do Conselho de Administração da Cercimarante)

Carlos Pinto (Chairman do Grupo JAP)

José Manuel Miranda Ferreira, Pároco de Amarante (São Gonçalo), Cepelos, Madalena e São Veríssimo)

Marisol Mendive (Presidente da Associação de Amigos do Órgão de Galiza)

Rui Correia (Direção Geral das Artes – Ministério da Cultura)

PROGRAMA

17 de Setembro - Concerto MARISOL MENDIVE (ES)
MARISOL MENDIVE (ES)

MARISOL MENDIVE (ES)

Concerto de Orgão

21h00 | Igreja de S. Gonçalo

Licenciada em Ciências da Educação pela Universidade de Barcelona, estudou órgão com os professores J. L. González Uriol (Zaragoza) e M. Torrent (Grado Superior, Barcelona). Participou em numerosos cursos avançados sob a orientação dos professores Daniel Roth, Andreas Arand, Michael Radulescu, etc. Também obteve o Diploma de Pós-Graduação e Especialização do Departamento de Musicologia do Consejo Superior de Investigaciones Científicas por ter frequentado o Curso de Actuação de Música de Órgão Barroco Europeu. De 1977 a 2004 foi Organista e Directora do Departamento de Música do Santuário de Torreciudad (Huesca). Fundou e dirigiu o festival Ribagorza, Clásicos en la frontera (1997-2009), para o qual a Câmara Municipal de Graus, Huesca, lhe atribuiu o prémio Calibo para a melhor iniciativa cultural.

Actuou em numerosas capitais espanholas e várias cidades em Itália (Roma, Aosta), Bruxelas (Bruges), Suíça (Lausanne, Neuchatel), Croácia (Humag), Noruega (Oslo), Portugal (Lisboa, Porto, Braga, Coimbra), Alemanha (Colónia, Münster, Berlim, Würzburg, Hildesheim, Ratingen, Dornum), México (Saltillo), Madeira (Ponta do sol), etc. Em Junho de 2018 deu dois concertos inaugurais sobre o órgão da Co- Catedral de Vigo, restaurado pela Câmara Municipal de Vigo. Deu cursos sobre música espanhola no Porto (Portugal) e em Lausanne (Suíça). Ao longo da sua carreira fez várias gravações, entre outras: Misa Solemnis de Jesús Legido, com a Orquesta de RTVE (Valladolid, 1995); El Gran Órgano de Torreciudad (1997); Música de los siglos XVI y XVII (Las Edades del Hombre. Órgano Medina de Rioseco, 1997); Concerto para trompa, alforn/trompa alpina e órgão (Catedral de Málaga, 2003); Concerto para harpa e órgão, com Mª Rosa Calvo Manzano, (Catedral de Málaga, 2004), etc. Registou no órgão de La Seo de Zaragoza a obra inédita de Joaquín Broto Salamero (1921-2006), o último organista deste importante monumento histórico de Aragão. O disco é o volume IX da Colección Órganos Históricos Aragoneses, dirigido por Jesús Gonzalo López e patrocinado pela Institución Fernando el Católico e a Diputación de Zaragoza. Participou, juntamente com outros profissionais, na equipa interdisciplinar que realizou a Catalogação dos órgãos da Galiza, um projecto financiado pela Consellería de Cultura de la Xunta de Galicia. Trabalhou como professora de órgão de 2004 a 2021 no Conservatório Profissional de Música de Ourense, Galiza. Desde 2005 é Directora Artística do Ciclo de Órgãos da Xunqueira de Ambía (Ourense).

Na sua ânsia de aproximar o órgão de jovens estudantes e novos grupos, com o apoio do Conselho de Celanova, e financiado pela Secretaria Geral da Cultura da Xunta de Galicia, está a desenvolver o projecto denominado “Concertos de Órgãos Didácticos para crianças em idade escolar”. Estes concertos destinam-se a estudantes do ensino secundário de toda a Galiza.  Desde 2009 até à data, mais de 11.500 estudantes já frequentaram o curso.  O objectivo destes concertos é sensibilizar para o património organístico da Galiza através do órgão do Mosteiro de San Salvador de Celanova. Preside à Associação de Amigos do Órgão de Galiza. Esta Associação foi criada com o objectivo de aumentar o conhecimento do património orgânico de Ourense e da Galiza, e, consequentemente, a sua protecção e restauração.

23 de setembro - Workshop - INTRODUÇÃO AO ÓRGÃO DE TUBOS com ANDRÉ BANDEIRA (PT)

WORKSHOP – INTRODUÇÃO AO ÓRGÃO DE TUBOS

Iniciou a sua formação musical no Curso de Música Litúrgica da Diocese do Porto, onde estudou Órgão com Rosa Amorim e, mais tarde, no Conservatório de Música do Porto, sob orientação de Paulo Alvim.

Prosseguiu os seus estudos na Universidade de Aveiro com Domingos Peixoto e Edite Rocha. Concluiu a Licenciatura em Ensino de Música (pré-Bolonha) e o Mestrado em Performance dedicado à obra para órgão de Flor Peeters com classificação máxima no Recital Final.

Participou em Masterclasses com reputados organistas internacionais.

Como solista tem realizado concertos por todo o país e também no estrangeiro.

É professor de Órgão, Acompanhamento e Improvisação no Seminário Conciliar de Braga e no Conservatório de Música do Porto.

É organista na Igreja de Cedofeita (Porto) desde 2011, sendo seu organista titular desde 2021. Em 2022 foi nomeado Diretor Musical da Santa Casa da Misericórdia de Vila do Conde.

23 de setembro - Concerto ANDRÉ BANDEIRA (PT)
ANDRÉ BANDEIRA (PT)

ANDRÉ BANDEIRA (PT)

Concerto de Orgão

21h00 | Igreja de S. Gonçalo

Iniciou a sua formação musical no Curso de Música Litúrgica da Diocese do Porto, onde estudou Órgão com Rosa Amorim e, mais tarde, no Conservatório de Música do Porto, sob orientação de Paulo Alvim.

Prosseguiu os seus estudos na Universidade de Aveiro com Domingos Peixoto e Edite Rocha. Concluiu a Licenciatura em Ensino de Música (pré-Bolonha) e o Mestrado em Performance dedicado à obra para órgão de Flor Peeters com classificação máxima no Recital Final.

Participou em Masterclasses com reputados organistas internacionais.

Como solista tem realizado concertos por todo o país e também no estrangeiro.

É professor de Órgão, Acompanhamento e Improvisação no Seminário Conciliar de Braga e no Conservatório de Música do Porto.

É organista na Igreja de Cedofeita (Porto) desde 2011, sendo seu organista titular desde 2021. Em 2022 foi nomeado Diretor Musical da Santa Casa da Misericórdia de Vila do Conde.

25 de setembro - Concerto DANIEL OLIVEIRA (PT)
DANIEL OLIVEIRA (PT)

DANIEL OLIVEIRA (PT)

Concerto de Orgão

17h00 | Igreja de S. Domingos

Natural de Alenquer, Daniel Oliveira é diplomado em musicologia pela Universidade Nova de Lisboa, licenciado em órgão pela Escola Superior de Música de Lisboa sob orientação de João Vaz e mestre em Pedagogia do órgão pela mesma instituição. É também licenciado em cravo na Escola Superior de Música de Lisboa, sob orientação de Ana Mafalda Castro. Apresenta-se regularmente em concertos quer em Portugal, quer no estrangeiro, marcando presença em alguns dos mais importantes festivais e temporadas de órgão, sendo também convidado para dirigir vários cursos e masterclasses. É membro fundador do agrupamento Ars Eloquentia, ensemble este dedicado ao estudo e interpretação de música antiga europeia, com destaque para a obra de Telemann e Quantz. Estudou com personalidades como Ketil Haugsand, Javier Artigas, Gerhard Doderer, Kristian Olesen, Luigi Ferdinando Tagliavini, José Luis González Uriol, Elizabeth Joié e Graham Barber. É organista titular dos órgãos históricos da Igreja Matriz de Oeiras e Igreja da Misericórdia de Torres Vedras, bem como diretor artístico do ciclo de órgão e do festival de música antiga de Torres Vedras. Gravou um CD com música portuguesa e italiana num órgão histórico de Torres Vedras. É professor de órgão, harmonia e baixo continuo no Conservatório Nacional de Lisboa, Conservatório de Música da Física de Torres Vedras e Escola Diocesana de Música Sacra do Patriarcado de Lisboa.

30 de setembro - Concerto PAULO BERNARDINO (PT) e ALEXANDRE ANDRADE (PT)

CONCERTO PAULO BERNARDINO (PT) E ALEXANDRE ANDRADE (PT)

Concerto de Orgão e Flauta Barroca

21h00 | Igreja de S. Pedro

Paulo Bernardino Investigador, maestro, compositor, organista e pianista. Doutorado em Direção Coral e de Orquestra pela Universidade de Aveiro (2021), é também licenciado em Engenharia Eletrotécnica pela Universidade de Coimbra (1998) e em Música Sacra pela Universidade Católica Portuguesa – Porto (2003). Enquanto autor e compositor é representado pela Imprensa da UC, pela editora MPmp e pelas revistas Salicus STELLA. Atualmente é maestro e diretor artístico do Grupo Coral de Urrô (Arouca) e do Coral Stella Maris (Anadia), sendo fundador, entre outros, do Manuel Faria Ensemble (Coimbra). Desenvolveu uma intensa atividade docente nas áreas da análise e composição, direção coral e de orquestra, musicologia, formação musical, acústica, piano, acordeão e órgão em diversas instituições de ensino, de entre as quais se destacam a EDMS de Coimbra (1994-2021), a UCP-Porto (2003-2008), a FLUC (2005-2010), o Instituto Piaget (2008-2013) e a ESEC (2014/15). Colabora desde janeiro de 2018 com a paróquia de Espinho num projeto que visa a renovação musical litúrgica e sacra, sendo responsável, entre outros, pela criação do coro infantojuvenil Schola Cantorum Stella Maris. Organista da Sé Catedral de Coimbra, desde 1994, é nomeado em 2002 organista titular dessa mesma Catedral. Acumula função idêntica na Capela da Universidade de Coimbra desde 2007. Com mais de uma dezena de trabalhos discográficos, tem-se apresentado em concertos a nível nacional e internacional.

Alexandre Andrade Natural de Souto, concelho de Santa Maria da Feira, é Professor auxiliar do I.S.E.I.T-Viseu, Instituto Piaget (Portugal), professor Convidado da Universidade Federal de Alagoas e Universidade Federal da Bahia (Brasil) e professor de Flauta no Conservatório de Música da JOBRA (Portugal). É Licenciado em Ensino de Flauta Transversal (Universidade de Aveiro) em 1995, na classe de Pedro Couto Soares, realizou o Mestrado em Performance na Irlanda (Waterford Institute of Technology) em 1997. Doutorou-se em Música (Universidade de Aveiro) em 2005, dedicando a sua tese A presença da flauta traversa em Portugal de 1750 A 1850, seu repertório e performance do traverso na 2ª metade do séc. XVIII e 1ª metade do séc. XIX. Em setembro de 2016, concluiu o Mestrado em Interpretação – Música Antiga – Traverso, na ESMAE (Porto) na classe do prof. Olavo Barros. Também trabalhou em Orquestra Barroca com os professores Pedro Sousa e Silva, Ana Mafalda Castro, Benjamim Chénier e Marco Ceccato. Membro fundador dos agrupamentos Ensemble Ars IbericaIberian Ensemble e Ventos do Atlântico tem realizado concertos e formação na área da Música Antiga em Portugal continental, Açores, Espanha; Inglaterra, República Checa, Sérvia e Brasil.