AUDIÇÃO DE GUITARRA PORTUGUESA

AUDIÇÃO DE GUITARRA PORTUGUESA

| AUDIÇÃO DE GUITARRA PORTUGUESA |

Hoje é dia de Audição de Guitarra Portuguesa!

A origem da Guitarra Portuguesa remonta à Idade Média, a um instrumento chamado Cítula. Assumiu, até ao século XIX, por toda a Europa, nomes como Cistre (França), Cetra e Cetera (Itália e Córsega), Cítara (Portugal e Espanha), Cittern (Ilhas Britânicas), Cister e Cithern (Alemanha e Países Baixos) e, outrora, também designada, por alguns, de Guitarra Mourisca, pelas semelhanças com o Alaúde, que os árabes introduziram na Península Ibérica.

É um instrumento muito difundido em Portugal, sendo o que mais se aproxima do sentimento Lusitano do povo português. É um instrumento musical carregado de simbolismo e com uma longa aliança com o Fado. Destino, fado e saudade são palavras que, naturalmente, se associam ao trinado da Guitarra Portuguesa.

A afinação nominal, ainda hoje usada na Guitarra, mantém características das Cítaras do Renascimento. Atualmente, a Guitarra apresenta-se hoje em dois modelos diferentes: a de Lisboa (mais aguda) e a de Coimbra (mais grave). A diferença tímbrica de ambas é notória e tal facto deve-se não só às diferenças da sua construção, como da sua execução, além da diferença, já mencionada, de tessitura (mais aguda/mais grave).

Carlos Paredes, enorme compositor e guitarrista português, foi um dos principais responsáveis pela divulgação e popularidade da Guitarra Portuguesa.

“Para interpretar o Fado, nenhum instrumento mais de jeito que a guitarra. Está costumada a cantar tristezas desde a mais remota antiguidade e além disso fala tão baixinho que não chega a incomodar os grandes, os felizes, os opulentos. É quase uma criança que chora ou uma mulher que suspira. Impressiona e não atordoa. Faz-se ouvir, mas não se impõe.” – citação de Alberto Pimentel, em Photographias de Lisboa.

Às 19h apresentam-se em palco os alunos do Professor Ricardo Oliveira. Esperamos por si!

 

Partilhar no facebook